Desde 2009, quando surgiram os primeiros casos de gripe H1N1 no Brasil, notícias sobre a doença se tornaram recorrentes.

Nesse ano, outra variação da gripe A deve ganhar destaque no noticiário e também nas campanhas preventivas: a gripe H3N2. Você já ouviu falar sobre ela?

Segundo a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), em 2017 o vírus da gripe que mais circulou por aqui também foi o H3N2. E com a ocorrência em grande escala no Hemisfério Norte, as autoridades de saúde brasileiras acreditam num crescimento no número de casos em 2018, em relação ao ano passado.

Por isso, vamos te ajudar a entender melhor quais os sintomas da gripe H3N2 e como você pode se prevenir contra ela.

O que é a Gripe H3N2?

A gripe H3N2 é um subtipo do comum vírus da gripe influenza A. Cada tipo de gripe é nomeado de acordo com a combinação e quantidade de proteínas que apresenta. Por isso, as vacinas contra gripe procuram proteger de três ou quatro tipos de influenza. Vale lembrar que a vacina deve ser tomada todos os anos, porque o nível de anticorpos se reduz ao longo dos meses.

Atenção aos sintomas da gripe H3N2

Embora os sintomas da gripe sejam parecidos, independentemente da sua estirpe, a história mostrou que nas estações em que a gripe “H3N2 A” prevaleceu, os sintomas foram mais severos.

Então, atenção para os sintomas:

  • Febre alta e súbita
  • Dor de cabeça, garganta e nas articulações
  • Desidratação
  • Mal-estar
  • Perda do apetite
  • Tosse
  • Falta de ar
  • Fraqueza muscular
  • Em alguns casos, diarreia.

Existem diferenças entre os sintomas das gripes H3N2 e H1N1?

H3N2 e H1N1 são dois dos subtipos existentes da gripe A e, nos dois casos, os sintomas da gripe são bastante semelhantes, podendo levar à pneumonia e outras complicações. O diagnóstico da gripe é clínico, entretanto a identificação do tipo de vírus é feita por meio de exames laboratoriais.

Nos dois tipos de gripe, a transmissão acontece pelo contato com superfícies ou objetos contaminados, de pessoa para pessoa, por meio de partículas de saliva, seja por tosse ou espirro. A forma mais eficaz de combater o avanço da doença e diminuir a sua severidade é a vacinação.

Crianças, idosos, gestantes e pessoas com doenças crônicas ou imunodeficiências são mais vulneráveis às complicações decorrentes da gripe e devem se vacinar.

Vacinação contra a gripe H3N2

No final de 2017 a Anvisa  publicou a composição das vacinas influenza que serão aplicadas no Brasil em 2018.

As vacinas influenza trivalentes irão conter as cepas dos vírus H1N1, H3N2 e influenza B. Já as vacinas quadrivalentes terão em sua composição os três tipos de cepas da vacina tri e um vírus similar ao vírus influenza B/Brisbane/60/2008. As vacinas contra a gripe são modificadas anualmente, com o objetivo de garantir a proteção contra as cepas virais de gripe identificadas em circulação. A vacinação é a forma mais segura de combater a doença.

Leia mais: Influenza 2018: Tudo sobre a vacina contra a gripe

Sobre a Clínica Imunizar

Fique atendo ao calendário de vacinação e garanta a sua imunização e da família. Com instalações confortáveis e uma equipe médica e de enfermagem especializada, a Clínica Imunizar está preparada para esclarecer suas dúvidas e prestar um serviço de excelência quando o assunto é vacinação.

A clínica é capacitada em salas de vacina pela Vigilância Epidemiológica de Santa Catarina e atualizada constantemente em cursos periódicos da Sociedade Brasileira de Imunizações. Conta com uma infraestrutura para manter a conservação das vacinas e garantir a sua eficácia.

Preparamos uma material exclusivo para que você possa esclarecer uma das principais dúvidas que levantamos com nossos clientes: qual a diferença entre as vacinas das redes pública e privada? Acesse e fique atualizado.

Diferença entre as vacinas de posto e particular | Imunizar Vacinas