O vírus varicela-zóster (VVZ) causa duas doença: a varicela (catapora) e o herpes-zóster (cobreiro). Após um quadro de varicela o vírus fica décadas latente nas raízes dorsais dos gânglios sensitivos e em determinadas situações podem levar a um quadro de zoster.

A idade é o principal fator de risco pois ocorre queda da imunidade e sabemos também que o aumento dos casos ocorre pelo aumento da expectativa de vida.

De acordo com o CDC (Center for disease control and prevention) o risco geral de desenvolver herpes-zóster no decorrer da vida é de 1 em cada 3 indivíduos.

O quadro clínico inclui o aparecimento de erupções cutâneas dolorosas que acometem os nervos das regiões facial, cervical ou intercostal.

As complicações incluem a neuralgia pós-herpética (NPH), encefalite, AVC, surdez e paralisia de neurônios motores.

A Vacina Herpes-zóster é uma vacina de vírus vivo atenuado da mesma cepa da vacina da varicela, porém 14 vezes mais potente para aumentar a resposta em indivíduos imunossenescentes.

É indicada para prevenção de herpes-zóster, prevenção da NPH, redução da dor aguda e crônica associada ao VVZ.

A eficácia é de 70% dos 50 aos 59 anos, 51% acima de 70 anos e 66,5% na prevenção da NPH.

As principais contraindicações são imunodeficiências, uso de altas doses de corticoides, tuberculose ativa e gestação.

Pode ser aplicada simultaneamente com outras vacinas.