A Dengue é uma doença febril aguda causada por um vírus do gênero Flavivírus que apresenta quatro sorotipos DENV 1, 2, 3 e 4.

A transmissão ocorre pelas picadas de mosquitos fêmeas do gênero Aedes aegypti. É a arbovirose de maior impacto de morbimortalidade na população e considerada endêmica em mais de 128 países. No Brasil circulam os 4 sorotipos que tem ampla dispersão em 25 estados.

“Em SC houve um número recorde de casos de dengue, chikungunya e zika vírus neste ano. O cenário preocupante inclui oito cidades, todas do oeste com epidemia de dengue. São quase 4000 casos autóctenes (contraídos dentro do estado). O maior número de casos ocorre de fevereiro a março. A Diretoria de Vigilância Epidemiológica de SC (DIVE/SC) já planeja estratégias para reduzir os números no próximo ano. Os planos previstos incluem o controle da transmissão vetorial , levantamento dos focos, uso adequado de inseticidas, vigilância em saúde, etc” (DC, 10/11/2016, pg26).

A Vacina contra a DENGUE é indicada para a prevenção da dengue causada pelos sorotipos 1,2,3 e 4 em indivíduos dos 9 anos 45 anos de idade que moram em áreas endêmicas. Foi obtida por tecnologia de DNA recombinante.

A eficácia é em torno de 60,8% para os 4 sorotipos, 95% para os casos graves e severos e 80,3% para as hospitalizações. Pode ser aplicada em pessoas que já tiveram dengue.

O esquema é de 3 doses com intervalo de 6 meses entre elas.

As contraindicações são gestação, uso prolongado de corticoides, febre e uso de imunossupressores.

Outras vacinas de vírus vivos atenuados só poderão ser utilizadas com intervalo de 30 dias.